domingo, 4 de outubro de 2009

Poema para as vozes que se calam


Para Mercedes Sosa
04/10/2009

O tempo passa
E as vozes se calam;
Não mais sua música
Transborda aos ouvidos,
Mas fica a magia
Dos tempos idos;
Fica a saudade
Da limpidez cortante
Que retine na alma:
Sentimentos profundos.
Vão-se as vozes,
Mas fica a lembrança
A ecoar entre os mundos.

Shirley Carreira

Um comentário:

  1. Que linda homenagem!
    Parabéns, seu blog está lindo.
    Quero um bottom dele pra colocar lá no meu com link direcionando pra cá...se quiser, me manda uma imagem que eu faço.
    beijos

    ResponderExcluir