sábado, 31 de outubro de 2009

Saudade

Meus olhos, postos no infinito,
Desenham o contorno de uma falta,
Desvelam o vazio de uma ausência,
Delineiam, em transparência,
Teu nome, em nuvens e céu.

Meus lábios mudos e quietos
Suprimem palavras que jorram,
Sufocam o que no peito arde,
Selam-te, para sempre, no abismo
Sempiterno da saudade.


Shirley Carreira

Um comentário: